Teresa, foi bom te conhecer

Eu tinha uma Les Paul Golden Sunburst que comprei para tocar em um casamento.

Comprei na OLX, por um rapaz que estava se desfazendo da guitarra pra começar a aprender a tocar sanfona. De Sweet Child o’ Mine para Evidências. Não julgo, e, na verdade, até incentivo. E foi assim que eu tive a minha terceira guitarra.

Fechei o negócio pela OLX, e passei para o passazap pra ele me passar alguns detalhes e vídeos da guitarra, que estava vendendo junto com uma pedaleira. Pedi ajuda do Chris, um super amigo meu, que ia casar, e tinha pedido para que eu tocasse no seu casamento. Então pedi a ajuda dele pra ir buscar a guitarra em outra cidade. Ele me levou, e fizemos a troca em frente a uma rodoviária.

Fui com o Chris, e o rapaz foi com um amigo dele. Perguntei se ele tinha algum recibo, ou comprovante de que estava me vendendo a guitarra ali. “A gente pode cortar a ponta do seu dedo”, disse o Chris. Era pra ele rir. Eu ri. Depois todo mundo riu. Ninguém saiu sem a ponta do dedo. Eu saí com uma guitarra, o rapaz e o seu amigo saíram com o dinheiro combinado.

Corta a cena. Cinco anos depois…

Decidi comprar um computador.

Com muito incentivo do Felipe, um outro amigo meu, eu fiz uma pequena lista de tudo o que tinha e não usava mais. Isso incluía uma câmera parada, um videogame empoeirado, duas guitarras e uma caixa de som.

E então eu recebi uma mensagem na OLX…

(continua na série PC do Pedro)

Vende só o Minecraft?

Eu tenho um Xbox 360. Ganhei ele dos meus pais aos 16, quando achava que era um bom momento para comprar um videogame dessa geração. Um ano depois saiu o Xbox One.

Ele foi meu companheiro de muitas aventuras. Noites sem dormir pra zerar algum jogo emprestado de um amigo, dias inteiros com amigos jogando em tela dividida, e os jogos de danças que fizeram muitas festas entre todos que eu conheço. Mas chegou a hora de partir.

Isso porque eu já não ligava ele fazia um bom tempo. Também já tinha zerado a maioria dos jogos que tinha. Eu até tenho tempo para jogar, mas não tenho mais tanta vontade de jogar nele.

Então me aventurei no mundo da OLX. Postei uma foto dele junto com os jogos. Em menos de cinco horas, uma mensagem: “Vende só o minecraft?”

Claro que vendo, moço. Depois de algumas conversas, e eu constatar que ele não era um terrorista ou sequestrador de órgãos, ele me passou o endereço. E era perto de casa.

Quando cheguei, os dois meninos se animaram. Eles jogaram tanto minecraft, que o CD fritou. Agora teriam um novo jogo.

Agora a aventura é deles.

Uma série não regular

Eu não preciso dizer que necessito de um computador para desempenhar a maioria das tarefas que mantém o blog e o podcast vivos, não é? Mas já disse.

Bom, eu escrevo textos, faço roteiros e pautas, gravo, edito e sonorizo, edito imagens e faço stories, tudo por esse celular Samsung 5 Metal que ganhei da minha digníssima (Essa semana postei um texto sobre ele lá no Instagram @coisasdpedro, aliás).

Grande parte do meu livro, que está em produção, precisa de um computador para ser diagramada, fazer a capa e cuidar de muitos detalhes que um celular não suporta.

Além disso, gravar e editar o podcast seria imensamente mais rápido e produtivo se eu fizesse em um computador. A produção poderia ser tão acelerada que até mesmo os episódios poderiam ser semanais (não estou prometendo nada aqui).

É por isso que eu vou montar um computador.

Eu nunca vou pelo caminho mais fácil, você percebe. Eu poderia entrar na Casas Bahia ou Americanas, escolher ali qualquer computador barato e fazer em 12x no cartão.

Não.

Eu vou comprar todas as peças separadas, e, com ajuda técnica, montar ele todo. Mas eu fui além.
Quero comprar a maior parte das peças à vista. E, para isso, estou vendendo muitas coisas que não uso. Entre elas, duas guitarras (pra quê? Eu só tenho dois braços), um videogame empoeirado (eu limpei antes de anunciar, ok?) e uma câmera (que está guardada há mais de três meses sem uso).

Essa é uma nova série aqui do blog.

Vou contar como vai ser essa aventura de vender tudo, nas entranhas da Enjoei e OLX da vida. Talvez eu poupe você da parte técnica, de megahertz de memória RAM e Processadores, talvez não. Mas, no final dessa série, eu terei meu computador montado, e estarei escrevendo nele.

Vai ser uma viagem legal.

Para todos os textos dessa série, vou usar a tag PC do Pedro. Acompanha aí!