Pobres Maias

Fiquei abismado ao descobrir que, estranhamente, os Maias tinham uma grande civilização avançada e muito bem estruturada, mesmo sem ter descoberto a roda.

É logico pensar nos benefícios da roda. Os mesopotâmios avançaram grandemente na agricultura. Os babilônios puderam construir obras monumentais. Os gregos tinham uma arquitetura praticamente impecável.

O maior problema nisso tudo, é claro, que os Maias não jogavam futebol. Eles não tiveram o privilégio de conhecer essa arte tão fina e tão popular ao mesmo tempo. Não puderam se emocionar com esse esporte que une povos e entretém nações. 

Suas obras, mesmo grandiosas, não incluíam estádios monumentais e caríssimos feitos especialmente para vinte e dois homens correrem atrás de um objeto esférico, redondo, sendo acompanhados pela torcida de uma multidão de maias enlouquecidos pelo primor dessa beleza ímpar.

Talvez eles até jogassem qualquer esporte parecido, usando cocos ou cabaças, mas nada se compara a uma esfera perfeita de fibras e couro entrelaçados que hoje conhecemos como…bola

Aí deu no que deu, né.

Os espanhóis chegaram, e dominaram tudo. Conquistaram a maior parte do território das Américas, toda a civilização de astecas, maias, incas, quatro copas do mundo.

Parece que a natureza escolhe muito bem quais povos vão sobreviver e avançar sobre critérios muito cuidadosos e os maias, coitados, ficaram para trás na história.

Partida do Texto

Bem, amigos do Coisas de Pedro!

Começa agora mais uma partida onde o Pedro vai tentar fazer um texto perfeito! Os jogadores já estão posicionados, será um embate dificílimo para os dois lados.

Começa a partida, é dado o pontapé inicial! Pedro começa bem abrindo o bloco de notas, passou para o aplicativo que ele marca as ideias, voltou para o bloco de notas, escreveu a primeira mensagem… Notificação! Notificação do Whatsapp toma a vez, passa pro grupo da família, grupo dos amigos, o bloco de notas tenta interceptar mas não consegue e o Whatsapp avança pro áudio de cinco minutos da tia, Pedro reconsidera mas não consegue.

– É, a tia tem um sotaque de Minas que é difícil resistir, especialmente no estado em que ele está de concentração mental, Galvão…

– Exatamente, Ronaldo, passando pela lateraaal! Manda a bola pra fora! O áudio da tia deu uma boa ideia pra texto, e toma a bola o bloco de notas, passa pro áudio com a editora-chefe, ela responde com “kkkkk” e a conversa continua! Pedro perde uma boa chance de passar pro bloco de notas e fazer o texto!

WordPress! Crie sites usando modelos fantásticos, e tire suas ideias online!

Agora a bola volta em jogo, notificação do Facebook, alguém curtiu a ultima postagem e Pedro tem que interagir. Passa pro feed e começa a dar scroll infinitamente, abriu a aba do twitter, não tinha o que fazer lá e foi pra fooora!

– O twitter tem essa característica de estar sempre muito bem posicionado, mas chega na hora ele não sabe o que fazer…

– E o juiz apita, acabou metade do tempo livre e o Pedro não conseguiu praticamente nada até agora.

– Falta finalização, Galvão. Pegar a ideia, escrever ela do jeito que vem, e publicar.

– É isso aí, Arnaldo. Blog! A gente se vê por aqui!

Júri de Campo

– Olha lá Arnaldo, lance polêmicoo! Vamos ver aí no replay. Segurou, ou não segurou?
– Olha só, Galvão, pra mim…segurou. Agora resta ver o que o árbitro vai decidir
– O pessoal da França tá pedindo pênalti, jogadores da Inglaterra acham que foi regular. Agora cabe ao juiz decidir o que vai acontecer nesses últimos quatro minutos de jogo! Olha lá, aponta pro alto, juiz pede decisão do júri!
– Exatamente, Galvão. Esse recurso tem sido usado desde a copa de 2026, que quando o juiz pede o júri, a decisão não é só dele. E num jogo como esse, semi final de Copa, ninguém quer tomar uma bucha dessa sozinho
– Muito bem, pra você que está torcendo aqui na rede Globo, mais tarde vai ter a novela Eterna Paixão! Será que Clarinha vai decidir se casar com o amor da vida dela? Descubra hoje às 10h da noite aqui na Rede Globo…
– É, a gente começa a ver o pessoal trazendo do vestiário a tribuna, né Galvão. Ela foi feita bem semelhante à tribuna de uma sala de julgamento mesmo, em forma oval. Agora os assistentes trazem as cadeiras pro meio de campo, e vão fazer ali o julgamento.
– Exatamente, Ronaldo. Ali você vê a repetição do lance. Lance polêmico. É até difícil de entender o que aconteceu ali na pequena área. Agora chega pro meio do campo o promotor, os advogados de defesa. O juiz coloca ali sua peruquinha de cabelo branco, como é que chama, Arnaldo?
– Peruca mesmo. E ali ele usa com a Toga
– Isso aí. Começou o julgamento! A acusação começa falando, abre o livro da Fifa, pede replay…Juiz fica desconsertado, pede a defesa. Os advogados de defesa estão meio atrapalhados, não sabem por onde começar. Pediram replay por outro ângulo, câmera lenta. Acusação entra no meio e a torcida vibra! Seu juiz pede silêncio.
– É, num lance arriscado como esse é difícil prever qual vai ser a decisão do júri, Galvão
– A situação está tensa aqui no estádio do Juventus. Mais de trinta mil pessoas vibrando juntas. A acusação faz sua tréplica, eles tem argumento. Parece que vai dar pênalti, A defesa entra em cima com replay de outro lance que aconteceu há dez minutos de jogo, o julgamento fica tenso. Juiz ergueu o martelo, vai bater! Peeeeeeeeeenaltiii! A galera vai à loucura!
– Exatamente, a defesa não apresentou argumentos sólidos. O promotor considerou a posição dos jogadores em campo e o júri entendeu muito bem, é pênalti para a seleção da França.
– Agora os assistentes correm pra tirar a tribuna e as cadeiras do meio do campo, volta o jogo. Aqui na grande área os jogadores começam a se posicionar, a semi final da Copa fica tensa no estádio de Juventus. Globo! A gente se vê por aqui!