Heróis vestem mochilas térmicas

Em 2019, Hideo Kojima lançou um jogo que se passa num futuro distópico, onde os entregadores são os heróis em uma sociedade isolada em bunkers.

Em janeiro de 2020, o Brasil parou para ver o BBB. 20 pessoas isoladas em uma casa. Ao final de março, estávamos todos assistindo pessoas isoladas, estando isolados em casa também. O que nem o BBB nem o jogo do Hideo Kojima, nem todos os quadrinhos do mundo previram, é que os verdadeiros heróis seriam menosprezados.

Primeiro os médicos e enfermeiros, que não podem simplesmente negar a situação,  e têm que enfrentar a morte por asfixia quase todos os dias na sua frente. Falaremos disso mais adiante.

Por hora nos concentramos nos entregadores, especialmente os de aplicativo. O serviço deles, sim, é essencial. Eles estão levando comida para pessoas em casa. Eles se expõem todos os dias a serem contaminados e, caso fossem, não poderiam se dar ao luxo de parar de trabalhar. Ah, você não sabia? Eu explico:

Diferente das pessoas que tinham suas carteiras de trabalho assinadas, e eventualmente perderam seus empregos, os entregadores por aplicativo são, em sua maioria, autônomos. Eles não tem carteira assinada. Também não tem qualquer vínculo empregatício às empresas com que trabalham.  Um dia sem trabalho para eles é um dia sem dinheiro para comprar a comida que eles carregam nas costas.

Além disso, eles estão muito mais propensos a serem contaminados, já que entram em contato com tanta gente ao longo do dia (ou da noite). E parar de trabalhar enquanto está doente é um luxo pra esses guerreiros que, como já disse, não têm carteira assinada.
Portanto, o aplicativo que você usa para pedir comida não paga as contas do entregador. Esses super heróis que batalham todas as noites e dias merecem seu reconhecimento e seu respeito.

Sobretudo, a sua empatia.

(mais sobre esse assunto, eu indico o Greg News Delivery)