Sua Responsabilidade

No último sábado, dia 25 de abril de 2020, eu publiquei o primeiro texto traduzido aqui no meu blog. Este texto é um resumo do que poderia ficar fixado na sua mente depois de ter acompanhado o post do último sábado.

É um texto muito mais extenso do que todos os outros que eu faço, e contém muitas informações que achei pertinentes serem publicadas aqui. Primeiro por ser o estudo de uma epidemiologista que trabalha num instituto que orientou as decisões de mitigação e quarentena de muitas nações, como o Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha. Então ela sabe do que está falando muito mais do que o seu presidente.

Tendo dito isso, reforço aqui aspas da doutora Britta Jewell:

Se você agir hoje, você evita quatro vezes mais infecções no próximo mês […] Esse é o poder de evitar apenas uma infecção, e obviamente nós devemos evitar mais de uma.

Britta Jewell

A infecção de que estamos falando aqui, caro leitor, é a sua. Faça um exercício de imaginação, e pense se você fosse um portador assintomático do novo SARS-Cov-2 (que possui o vírus, mas não manifesta nenhum dos sintomas). Tente se lembrar de quantas pessoas você esteve contato nas últimas duas semanas. Seja contato físico, ou mesmo a uma distância menor que 2 metros.

Conseguiu fazer uma lista mental?

Ótimo. Todas essas pessoas seriam contaminadas com o coronavírus. Todas elas, sem exceção. O vírus é muito bem transmitido pelo ar.

Com base nos modelos epidemiológicos da doutora, uma pessoa contaminada hoje, pode resultar em 2.400 pessoas contaminadas daqui um mês. Duas mil e quatrocentas pessoas contaminadas pelo descuido de apenas uma. E, seguindo as estatísticas da porcentagem de casos fatais ao redor do mundo, dessas mais de 2 mil pessoas, mais de 200 estariam mortas em até 5 semanas.

200 pessoas mortas. Por causa do descuido ou relaxamento de apenas uma.

E lá na frente, se você for testado como negativo para coronavírus, mas seu corpo já possuir anticorpos, significa que você teve o vírus, participou da contaminação de outras pessoas, e não fez nada para que as consequências fossem menores.

Eu não quero viver com esse peso nas costas.

Espero que você também não queira.