Mosquito Fascista

Um experimento biológico reiniciou discussões por todo o país. A decisão polêmica passa hoje pelo comitê de ética do estado para ser aprovada ou rejeitada. Confira a matéria de Renan Marques…

“Estudantes e cientistas do Instituto de pesquisa da Faculdade Estadual fizeram um trabalho um tanto quanto…polêmico. O cientista e reitor da universidade, Roberto Fernandes nos explica mais sobre este experimento”.

“Nós conseguimos mudar geneticamente o mosquito da Dengue, e ao invés de listras, agora ele tem pequenos símbolos da suástica nazista por todo o corpo.”

“Qual foi o objetivo deste experimento, Doutor?”

“Bom, queríamos provar o quanto conseguiríamos mexer no DNA de diferentes espécies. Estudos ao redor do mundo fazem isso. Já fizemos coelhos que brilham no escuro, ratos que resolvem equações matemáticas, e agora temos o Mosquito Nazista”

“Ao aprovar este trabalho de estudantes e pesquisadores, o senhor imaginou como isso afetaria a opinião pública?”

“Com certeza. Entramos em contato e fizemos discussões com os doutores das matérias humanas aqui da faculdade para entender o impacto social do experimento. Também fizemos uma pesquisa entre alguns que frequentam o campus, e foi positivo. Acreditamos que é importante alertar a todos sobre os perigos da Dengue, o Neonazismo, da Zika, e outras doenças que estes mosquitos disseminam, e queríamos chamar atenção para este problema.”

“Alguns dizem que a suástica no novo mosquito foi uma provocação a alguns grupos de direita. O senhor confirma este fato?”

“Olha, pesquisadores e cientistas de vários espectros políticos estavam envolvidos no trabalho. Só queríamos passar a mensagem de que existe um perigo, ele pode ser evitado e só depende de nós. Não deixar água nem cabeças paradas. É isso.”

“Muito obrigado pela entrevista, Doutor Fernandes. Na tarde de hoje será votado no conselho de ética sobre a aprovação da distribuição do novo ‘design’ do mosquito. Enquanto isso, já circulam possíveis nomes para ele na internet, e os mais votados são Aedes Nazigypt e Nazika Vírus.

É com você, Evaristo.