PH

Eu sou Pedro Henrique.

Nasci em São Paulo, numa quinta-feira de 1996 e, desde então, tenho conseguido sobreviver a quase todas as quintas-feiras.

Na virada do século eu já estava lendo gibis do Maurício de Souza. Aprendi contos investigativos com Tintim e Bernardo e Bianca. Assistia dramas, como Rei Leão. Meu pai subia comigo no telhado de casa e dizia “Tudo que a luz do sol toca, Pedro…é a Terceira Divisão. Dali pra lá é São Matheus.

O tempo passou, como sempre passa, exceto nas quintas-feiras, e eu vivi. Depois de uma certa idade comecei a juntar palavras e escrevê-las em cadernos. Elas virariam poemas.Depois continuei juntando palavras, amontoando-as em frases e parágrafos. Elas viraram crônicas e contos, que passei a publicar periodicamente aqui no Coisas de Pedro. Depois de um tempo comecei a escrever um texto por semana. Eram publicados toda terça-feira, às 10h15. Há alguns meses publico textos às quintas-feiras também, mas continuo odiando a todas elas.

Se você está lendo isso aqui e já leu algum outro texto desse site, você já me conhece muito mais do que se tivesse passado dias comigo. Este é o texto de número 100 do meu blog. De qualquer forma, obrigado por estar aqui.

Sente-se, tome um café. Sinta-se à vontade.