Pássaros Verdes

Por aqui existem muitos daqueles bichinhos verdes super carismáticos, que voam em bandos e se aninham em árvores com suas grandes famílias. Os chamamos de Maritacas.

Eles gostam de ficar nos fios dos postes da cidade, muito provavelmente tagarelando sobre a vida dos que passam na rua. Seu vocabulário é todo formado somente por uma sílaba, e parece risada de gente debochada. Seu passatempo favorito, mesmo, é fazer cocô neles. É quase como um desafio pessoal, ou feito para os parceiros de poste. Quando eles acertam, fazem uma algazarra e voam para outro canto.

Outro passatempo favorito desta espécie de pássaro verde é entrar nos forros das casas. Geralmente lá eles fazem seus ninhos, se multiplicam e levam comida para suas crias. Este não é seu passatempo. É este: Eles amam roer os fios de telefone e de energia elétrica. Ficam todos felizes quando conseguem a proeza de desfazer toda a ligação de lâmpadas da casa sem perderem um membro da família.

A diferença destes pássaros verdes que tagarelam, por aqueles outros pássaros verdes que repetem o que a gente fala, que chamamos de Papagaio, é justamente essa. As Maritacas pararam na parte de tagarelar mesmo. Além do que, eles parecem serem muito mais de sair, enquanto os papagaios são caseiros, e se apegam ao lugar e pessoas onde vivem.

É por isso que os humanos aqui na região, há um certo tempo, relacionam as maritacas a pessoas que falam demais. A semelhança delas com os papagaios e as maritacas é que não conseguem elaborar um pensamento próprio que produza algo de bom. Além do vocabulário limitado, e da facilidade em irritar outros humanos, é claro.

Durante o inverno nem todas elas vão para o norte. Algumas ficam por aqui mesmo. No fim de tarde elas fazem muito barulho se aninhando nas árvores. Às vezes alguma delas solta um pum ou algo parecido, e elas voam em círculos preenchendo o céu rosa e azul com pequenos pontos verdes barulhentos. É bonito de se ver. Se você ignorar o barulho, é muito bonito de se ver.