Show do Brasil

Ninguém entendeu muito bem o que estava acontecendo quando uns gringos chegaram de van, instalando câmeras nos postes de toda a cidade. As vans tinham adesivos de emissoras de televisão, também todas gringas. Os repórteres e técnicos que desciam, com seus equipamentos gringos, eram todos com cara de pessoa de outro país. O que parecia ser o diretor de jornal ou de filme de hollywood dava ordens de posição de câmeras, e onde ficariam os microfones.

Depois chegaram caminhões com banners verdes, bonecos infláveis e cartazes de propagandas. Os moradores do bairro, e os que passavam no centro começavam a especular o que estava acontecendo, mas nada diziam os técnicos enquanto instalavam câmeras e cartazes, além de palavras em outro idioma. Os banners verdes enormes deviam ser para inserirem propaganda depois que gravarem, disse alguém. Isso aí é coisa de espionagem russa, disse outro alguém.

O seu Neno do bar disse que quando teve gravação de filme na rua, eles foram lá no bar dele, pediram autorização e tudo. Não foi assim, desse jeito, sem nem explicação.
Os repórteres aqui da cidade estavam consultando seus livros da faculdade para saber quais eram os códigos éticos do jornalismo ao entrevistarem outros jornalistas. Ao menos é o que pareciam ser.

Depois que instalaram todas suas infra-estruturas, subiram novamente em suas vans, e foram embora. Ninguém, realmente ninguém entendeu o que aconteceu. As câmeras ficaram lá, vigiando todo mundo. Os microfones também.

Dois anos depois saiu um ótimo documentário na BBC sobre a vida dos brasileiros, e como eles faziam para sobreviver sendo, essencialmente, brasileiros.