O dia em que faltou um dia

Um dia, simplesmente, a humanidade acordou, e era uma terça-feira. Os velhinhos saíram para dar comida pros pombos, os padeiros faziam pão, as fábricas abriram. Nada demais, até se saber que, na verdade, aquele dia era pra ser uma segunda-feira.

Isso acaba com o relógio biológico. Não é que todas as pessoas dormiram um dia inteiro. O que aconteceu foi: todo mundo olhou nos seus laptops e smartphones, e tinha um dia faltando em suas agendas.

Milhões de tweets foram excluídos por conter o habitual conteúdo de “odeio segundas-feiras”, “voltar à rotina” ou “bora trabalhar, senão esse país não vai pra frente” pelas pessoas que twitaram antes de olhar o calendário. Outros milhares de tweets surgiram para discutir o acontecido. Subiu a hashtag #cadeasegunda.

Os astrônomos não previram isso. Todos esperavam comprar seus cafés, e voltar aos seus cálculos que deixaram para serem concluídos desde a última sexta. Assim que perceberam a falta da segunda-feira, começaram novas pesquisas, partindo do ponto de que era um evento inédito, e não tinham a mínima ideia do que estava acontecendo. Evidentemente foram procurados para darem algum parecer científico de toda a bagunça, e tiveram mais uma vez que fingir saber exatamente o que estavam falando.

Os astrólogos disseram para todos seus clientes do fim de semana que deveriam tomar
cuidado com qualquer coisa fora da rotina, e se saíram melhores com isso tudo.

Bilhões de compromissos foram remarcados para a semana que vem. Outros bilhões continuaram sendo adiados até não fazerem mais sentido, e por fim nunca serem cumpridos.

No final, todos adiantaram um dia em suas agendas e continuaram suas vidas. Ficou tudo bem.