Procrastinação

Preciso mesmo começar esse texto. Já são nove horas.

A meia hora de enrolação que se passou poderia ter sido muito mais produtiva se eu já tivesse aberto o arquivo pra escrever. Agora que abri só me resta ter alguma ideia. Ah sim, eu tive ideias, e anotei no meu bloco de notas. Onde está meu bloco de notas? Não está na gaveta, na carteira, na cômoda, no criado mudo. Sim, aqui achei. Meu criado mudo anda tão bagunçado.

Ai.

Vou organizar isso aqui. Olha, o que esse caderno está fazendo aqui? Era pra estar na caixa de cadernos velhos. Agora vou ter que procurar a caixa de cadernos velhos.

Claro que procurei em todos os lugares possíveis antes de lembrar que ela estava debaixo da cama. Não precisava ter levantado de novo. Mas já que levantei e abri a caixa, vou procurar, no meio dos poemas antigos, aquele poema que me lembra a ideia que eu tive. Mais meia hora. Tem poema aqui que eu não me lembro de ter escrito. Fui eu mesmo quem escreveu isso aqui? Legal. Vou guardar isso aqui.

Pronto.

Agora preciso terminar de arrumar esse criado mudo. Como pode tanta coisa em tão pouco espaço? Está ótimo. Folheei as páginas de rascunhos, porque tem muita coisa legal aqui.

Achei minha ideia!

Preciso pensar um pouco mais nela e começar a escrever. A ideia me lembrou Coca Cola, que me lembrou a praça, que me lembrou Vitória. Ela ficou de me mandar mensagem antes de sair. Vou entrar no Facebook. Olha, ela mandou  mensagem. Fulano postou música nova dos Strokes, vou ouvir. Puxa é sábado, e já são onze horas. Daqui a pouco sai vídeo do Porta.

Vou assistir e depois almoçar…