É que

É que ela abriu a porta sem esperar ele desligar o alarme de novo, e o alarme disparou bem alto, o que irritava ele, então ele brigou com ela de verdade, e usou a expressão “você sempre faz isso” que ela odeia e se sente reprimida. Depois ela começou a chorar. Depois ele jogou a culpa na TPM, daí ela começou a soluçar de verdade, e ele ficou mais irritado e começou a acelerar de verdade mas eles não sabiam que, no cruzamento dali quatro quadras ele ia ficar mesmo muito nervoso, e ia bater o carro, e ela chorava porque faziam dois meses que ela não tinha TPM e não sabia como contar isso pra ele, depois o carro capotou duas vezes, e depois ela gritou “amor! amor!” mas ele já tinha parado de respirar, mas depois ela secou as lágrimas e limpou o sangue do rosto dele, então ela pediu desculpa, e ficou tudo bem, e os três morreram abraçados naquela esquina perto de casa.