Escreva um diário

Por 365 dias eu escrevi sobre meus dias. Esse foi meu 2020.

Eu comecei no dia 2 ou 3 de janeiro, detalhando em um arquivo de Word como foi minha virada e os primeiros segundos do ano. Depois disso continuei listando e descrevendo os dias, um após o outro.

Fiquei alguns dias sem escrever, e sentava durante um tempo para tirar o atraso. Não pensei que faria isso até o fim do ano de 2020, mas fiz. E foi uma das melhores coisas do ano.

A sensação de ter ali meus dias registrados, e poder escrever em detalhes meus sentimentos e minha visão das coisas cotidianas é incrível. Eu aprendi a contar histórias melhor. Melhorei minha expressividade e habilidade em descrever acontecimentos. Mais ainda, além disso tudo, eu registrei dos a dia do ano mais maluco de todas as nossas vidas.

Por enquanto este arquivo do Word está descansando no meu Onedrive. 130 páginas em folhas A4. Mais de 67.500 palavras. Não pretendo publicá-lo. Com certeza vou revisitá-lo este ano e nos próximos, quando eu me perguntar “o que eu estava fazendo neste dia de 2020?”. Além de um arquivo de alguns megabytes, fica a experiência, o aprendizado, e todo o incentivo para que você, leitor, faça isso. Registre seus dias. Comece hoje mesmo. Você não vai se arrepender.

#5 Ciência do Fim do Mundo

Você pode ouvir no player aqui em cima, ou clicando em um dos links abaixo:

Spotify

Anchor

Textos lidos no episódio:

Show do Fim do Mundo

Uma Tempestade se Aproxima

Participe do Podcast

Quer participar no próximo episódio do podcast? É só me mandar uma pergunta, sugestão ou qualquer mensagem. Estou lá no Instagram como @coisasdpedro. Além disso, se você usa o Anchor, pode me mandar mensagens de áudio no link anchor.fm/coisasdpedro.

Coisas que aprendi

Estou casado há pouco tempo, mas esses meses que se passaram me trouxeram um aprendizado que eu não teria de qualquer outra forma. É por isso que trago aqui, nessa série de textos, algumas coisas que aprendi sobre a vida cuidando de uma casa. Não vou falar de casamento, e relacionamentos. Com isso eu não tenho problemas nenhum. Mas a casa…

Bom, cuidar de uma casa requer algumas habilidades que só são adquiridas quando a água bate na bunda. Ou, no caso, na cara. Enquanto você é acordado a gritos pela sua esposa que está trocando uma torneira, fazendo uma linda cascata de água pela sua cozinha, molhando todo enxoval de panos de prato.

Essa é a série Coisas que Aprendi, na temporada Cuidando de uma casa.

A partir de hoje, toda quinta feira.

Notas de Esclarecimento

Muita coisa aconteceu por aqui nos últimos meses. E como esse blog leva o meu nome, e meus textos, o que acontece comigo acaba afetando diretamente este site que você está lendo.

Os textos das próximas semanas e meses serão diretamente relacionados ao que me aconteceu no final de 2020 (esse ano maravilhoso que ficará marcado permanentemente em nossas vidas) e o início de 2021, com muitas mudanças.

Mas este texto não é sobre isso. Este texto, junto com as seguintes notas de esclarecimento pontuadas estarão fixadas no topo do blog caso algo aconteça, então vamos lá:



Meu notebook desabou. Caiu da prateleira de cabeça pra baixo, e, até o momento de publicação deste texto, ele ainda não voltou a funcionar. Portanto os textos de 2021 serão escritos, em sua maioria, do meu smartphone. Um J5 que ganhei da editora chefe deste blog. O mesmo smartphone que uso pra gravar o podcast Coisas de Pedro. Se algo contecer com esse celular, tanto o blog como o podcast ficam parados por bom um tempo, até eu conseguir outro meio de gravar e produzir.



O podcast Coisas de Pedro (que você pode ouvir no Anchor ou Spotify) será quinzenal em 2021. Dois episódios por mês, aos sábados. O tempo encurtou por aqui, e a produção ficou mais difícil sem o notebook (vide a nota 1). Apenas um episódio por mês terá resposta de perguntas, pra não abusar do meu editor. (Obrigado, Vito!). Agradecemos a compreensão e as mensagens que vocês já tem enviado.



Como você pode ouvir no episódio 4 do podcast: eu casei. Com a minha editora chefe. Ela tem me ajudado a produzir muito mais, e vocês verão coisas por aqui. Mas as novidades em tempo real você acompanha no Instagram @coisasdpedro.

Obrigado!

Senhorzinho sensato

Vi um senhor, parado no meio da calçada embaixo de uma árvore. Ali ele estava com sua bicicleta, e usava uma máscara.

Muito precavido esse senhor, em tempos de pandemia, mesmo saindo de casa usava a máscara sem ser no pescoço, ou com o nariz de fora. Também estava andando de bicicleta nesse bairro que tem pouco movimento e nenhuma aglomeração nas praças.

O senhor parou ali embaixo da árvore. Abaixou a máscara cuidadosamente, e mexeu no bolso, tirando alguma coisa. Depois ele começou a mexer nas mãos. Muito bem. O senhorzinho trazia seu próprio álcool em gel.

Não, não era álcool em gel. Ele estava embolando seu cigarrinho. Fez isso mais cuidadosamente ainda. Acendeu e tragou várias vezes ali, embaixo da sombra. Muita sensatez, mesmo. Andar de máscara.

Mas tirar a máscara pra acender um cigarro? Ta bom…vou atravessar a rua e continuar voltando pra casa.